• Slide
Diário de Filmagens

Diário de Filmagem – 21/12/15 – 18h43

Marco Ricca é daqueles atores que fazem o set parecer sagrado. Ele pega o personagem e o molda com a voz, as mãos, o modo de segurar o cigarro e tomar o uísque. Em BIO, interpreta um psicanalista nos anos 60. Uma aparente barbada para quem já foi Ricardo III e Hamlet. No entanto, em nosso filme ele tinha exatamente 22 falas, enquanto nas peças de Shakespeare tinha centenas. Marco construiu – com economia de recursos: não precisou nem levantar da poltrona – um personagem que estava esboçado no roteiro, mas só se concretizou na frente da câmera. É bom lembrar que Marco Ricca já está na história do cinema brasileiro por suas atuações, por exemplo, em “O invasor” e “Um crime delicado”, ambos de Beto Brant. E ele está em cartaz como “Chatô”. Seu trabalho em BIO, nesta manhã, foi uma aula para todos nós.

À tarde, filmamos com Thainá Gallo. Nós começamos a trabalhar seu personagem na seleção de elenco, no Rio de Janeiro, onde mora atualmente, e depois ainda fizemos um ensaio por Skype. Tava tudo bem definido. Contudo, dias atrás, vi seu figurino, idealizado por Rô Cortinhas, e seu cabelo, criado pela Britney. Imediatamente pensei: com esse visual bem hippie dos anos 70, os diálogos estão muito caretas. Puxei um pouco pela memória, fiz uma pesquisa básica na rede e substituí algumas palavras por gírias clássicas como “uma barra”, “grilo” e “encucada”. A Thainá, inteligente e talentosa como é, não teve dificuldade em assimilar as mudanças. É um pena que BIO não tenha uma cena musical, pois a Thainá, dona de uma voz poderosa e com aquele cabelão de impor respeito, poderia tranquilamente interpretar uma canção de “Hair”. Fica pro próximo.

Amanhã é a última diária desta primeira fase de BIO. E, pra deixar as coisas mais diversificadas, os seres humanos não serão os únicos animais no set.

Foto 6 Foto 7

Comentários: