• Slide
Diário de Filmagens

Diário de Filmagem – 16/01/16 – 18h42

Acabou! Vinte e três diárias. Trinta e nove entrevistas. Quarenta personagens (pena que o protagonista não apareceu…). Treze cenas para o epílogo, mais uma para o prólogo. Mais de trinta cenários. Centenas de objetos trazidos e levados do estúdio diariamente. Muitos HDs abarrotados de material, que agora será selecionado, ordenado e montado. Milhares de fotos de cena ainda inéditas, algumas ainda nem revisadas, que serão pouco a pouco disponibilizadas para o público. E vinte e quatro edições deste diário, que segue por mais algum tempo, porque ainda tem coisas pra contar do que aconteceu em dezembro de 2015 e janeiro de 2016 no estúdio da Naymar, no bairro Medianeira, cidade de Porto Alegre, estado do Rio Grande do Sul, Brasil. BIO é um filme brasileiro que conta uma história universal sobre a vida, de um modo tão fragmentado e contingente quanto o seu tema. E a última peça dessa história foi produzida há poucas horas.

Nossa atriz de hoje, Fernanda Carvalho Leite, interpreta uma massagista tântrica, lá pelo ano de 2024, que intervém de maneira decisiva na trajetória do nosso heroi. A Fernanda, além de estudar o texto, pesquisou o próprio tantra, que é uma das ramificações do yoga, que lida com a sensibilidade e a energia sutil. Seu cenário é um dos mais abstratos do filme, quase todo construído com luz. Filmamos a sua entrevista em pouco mais de uma hora e meia, sem maiores percalços. Apenas uma mosca apareceu para incomodar um pouco, mas ela foi afugentada rapidamente.

Depois do intervalo do almoço, fizemos nosso “Amigo da onça secreto”, que foi tão divertido e rendeu tantas fotos que farei um post especial para ele nos próximos dias. Como hoje é aniversário da nossa produtora executiva, Luciana Tomasi, contamos o Parabéns e ela ganhou um bolo com velinhas. Na verdade, dois bolos com velinhas, o primeiro de verdade e o segundo recondicionado pelo Bernardo de uma das cenas de BIO. E ainda tiramos uma foto da equipe, que está neste post. Quero agradecer a cada um que está na foto e dizer que vocês foram, todos, espetaculares.

Outro registro importante é o da equipe do som. Tivemos dois técnicos de som direto em BIO: Fernando Efron em dezembro e Fábio Duarte em janeiro. BIO é um filme de entrevistas, e é óbvio que as falas são decisivas. A dupla gravou tudo, e agora esse material será editado pelo Estúdio Bunker, co-produtor de BIO, em que o Fernando é sócio do Augusto Stern (o Babu). Obrigado, rapazes, pela parceria e pela atenção mais que profissional à qualidade do som.

Finalmente, como última atividade, rodamos a cena em que a Fernanda faz a sua massagem tântrica, sob o ponto de vista do nosso protagonista. Nos divertimos mais um tanto e, depois da última tomada, cumprimos a velha tradição de abrir um champanhe e fazer algumas libações aos deuses do cinema. Terminamos essa filmagem com aquela ambiguidade emocional que também é tradicional nestes momentos: de um lado, alívio pelo dever cumprido; do outro, tristeza por abandonar um grupo que esteve junto, com grande intensidade, por muitos dias, criando ou fortalecendo amizades que transcendem o trabalho profissional. Mas, como já escrevi ontem, é a vida. É BIO. Outros filmes virão.

 

Foto 74 Foto 75

Foto 76 Foto 77

Foto 78 Foto 79

Comentários: